Os melhores álbuns baianos de 2021 pela crítica

Finalmente, chegamos na última e mais esperada votação promovida pelo el Cabong: os melhores álbuns baianos do ano. Junto com nossos convidados (jornalistas, radialistas e profissionais da mídia baiana) elegemos os trabalhos que mais chamaram atenção em 2021. Foram 90 álbuns, EPs e mixtapes citados, trabalhos de artistas de estilos e gêneros musicais bem variados. Do pop ao hardcore, do rap à música instrumental, de ritmos tradicionais do sertão ao trap urbano contemporâneo.

Além da diversidade, uma outra marca dessa votação foi a presença de artistas em momentos distintos da carreira, mas a maioria deles pertences a geração mais atual da música baiana. São nomes mais consolidados e bem conhecidos ao lado de revelações do cenário com discos de estreia. Há ainda artistas se estabelecendo nacionalmente junto com outros que começam a ganhar corpo e chamar atenção. Merece menção ainda a forte presença de bandas e artistas de fora da capital, com nomes de Camaçari, Feira de Santana, Ilhéus, Vitória da Conquista, Itabuna, entre outros.

O resultado final não apresentou unanimidades, foi uma votação quase parelha, com pouca diferença de votos entre os mais citados. Veja o resultado final e mais abaixo como votou cada um dos convidados.

1º – 12 votos

Giovani Cidreira – Nebulosa Baby

Desde que surgiu com a banda Velotroz, Giovani Cidreira vem mostrando uma incrível capacidade de criar canções que escancaram seus sentimentos mais pessoais. A cada álbum revela mais de suas angústias e inquietações, tendo como base sonoridades diversas, seja uma abordagem mais pop-rock-mpb, seja mais experimental-eletrônica. Em Nebulosa Baby ele reúne um pouco de tudo isso e liga as pontas que por vezes podiam parecer soltas. Traz músicas que já havia experimentado antes, apresenta novos caminhos, muitas novidades e condensa algumas ideias de forma mais concreta. Neste trabalho, Gio continua seguindo um caminho próprio, sem precisar se definir ou se encaixar em modelos. O que podia parecer estranho nos trabalhos recentes, onde brincou com possibilidades, faz todo sentido neste álbum primoroso, desde a produção e arranjos, passando pelas canções, convidados, até a proposta audiovisual. Cidreira propõe uma estética livre, ampla, que o permite trafegar por várias rotas deixando sua marca e se consolidando definitivamente como um dos grandes nomes de nossa música contemporânea. (leia resenha do álbum e faixa faixa)

2º – 10 votos

BaianaSystem – OXEAXEEXU

Totalmente concebido durante a pandemia, o maior nome da música baiana atual (e a que realmente importa) tem seu quarto álbum carregado de críticas sócio-políticas sem deixar o tom festivo de lado. O grupo aprofunda novas propostas estéticas, seja no diálogo com novas sonoridades africanas, seja na continuidade com a música latina ou na aposta instrumental. (leia faixa a faixa do álbum)

Jadsa – Olho de Vidro

Em seus trabalhos anteriores, Jadsa já dava mostras de ousadia e criatividade. No seu primeiro álbum cheio, a artista consolida a proposta de sua música provocativa e visceral. Ela apresenta uma sonoridade que trafega sem pudor por vários ambientes, com um respaldo vanguardista, e mesmo assim com uma assinatura própria. (leia resenha do álbum)

3º – 8 votos

Afrocidade – Afrocidade na Pista (EP)

Direto de Camaçari, a Afrocidade estava devendo o registro de algumas das potentes músicas que apresentam nos shows. Esse EP paga a conta com louvor, levando a energia dos palcos pra o estúdio com uma produção afinada e na dose para as misturas sonoras do grupo.

OQuadro – Preto sem Açúcar

A experiente banda de Ilhéus segue confirmando ser um dos nomes mais interessantes do rap nacional, mesmo sem a atenção merecida. Neste terceiro álbum, o grupo se cerca de convidados para produzir uma sonoridade própria a base de um rico arsenal de rimas e beats.

Rachel Reis – Encosta

A jovem cantora e compositora feirense surgiu com singles que em pouco tempo chamaram atenção. Antes mesmo de seu primeiro show autoral, apresentou o delicioso Encosta, que traz um pop leve e dançante, que dialoga com MPB, R&B, afrobeat e baianidades.

4º – 7 votos

Melly – Azul

Outra jovem e novata cantora e compositora que traz em seu trabalho de estreia um diálogo com sonoridades contemporâneas. Melly faz um caprichado R&B / neo-soul sintonizado com seu tempo e com ritmos baianos.

5º – 6 votos

Ana Barroso – Cisco no Olho

Nascida em Vitória da Conquista e criada em Jequié, a cantora e compositora estreia em alto nível, com um álbum belo e delicado. Ela traz a tradição do cancioneiro popular nordestino em diálogo com a música brasileira das cantoras de rádio, passando pela MPB mais clássica até a contemporaneidade. (leia faixa faixa do álbum)

Lazzo Matumbi – Àjò

Uma das maiores vozes da música baiana e brasileira, Lazzo volta com um álbum de inéditas e releituras, todas autorais e divididas com vários parceiros. Produzido por Felipe Guedes, Àjò  percorre alguns dos gêneros que mais marcaram os 40 anos de carreira do artista, como reggae, soul e ritmos afro-baianos. 

Márcia Castro – Axé

De volta à Bahia, a cantora fez essa homenagem à Axé Music dos anos 1990. Mas nada de versões, ela propõe novas composições de nomes ligados ou não à sonoridade baiana. Com um ótimo resultado, Axé traz canções de Emicida, Russo Passapusso, Teago Oliveira, Carlinhos Brown, Nando Reis, Lucas Santtana e Magary Lord.

6º – 5 votos

Africania – O Curador do Museu do Imaginário

Liderado pelo músico Bel da Bonita, o grupo de Feira de Santana faz um passeio pelo sertão baiano, em especial a região do rio Jacuípe, através de um mergulho em sambas de batuque, chulas e toadas.

Jacau – Tropical Nazismo

Lançado inicialmente em vinil de forma coletiva por diversos selos brasileiros e gringos, o novo trabalho da banda de hardcore de Itabuna segue a mesma pegada, com um rock pesado e certeiro no som e nas letras. (ouça aqui)

Ronei Jorge – Irmã

O veterano artista segue sua trajetória à base de belas canções, agora com violões e guitarras aliados a programações e sintetizadores, numa produção a cargo de Lívia Nery e Andrea Martins.

Como votou cada um

Ana Paula Marques @smpaulinha
(Revista Gambiarra)

  1. Ana Barroso – Cisco no Olho
  2. cajupitanta – Tradição/Tradução
  3. Carlos Porto – Suíte Popular Conquistense
  4. Cravinho Dengoso – Do Escambo ao Esquema
  5. Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
  6. Marcos Marinho – Aura
  7. Melly – Azul
  8. OQuadro- Preto Sem Açúcar
  9. Rachel Reis – Encosta
  10. Ulisses Castro – Cabeça de Nêgo

Breno Bastos – @brenobf
(Revista Fraude e el Cabong)

Nebulosa Baby – Giovani Cidreira
Meu Coco – Caetano Veloso
Olho de Vidro – Jadsa
Afrocidade na Pista – Afrocidade
OXEAXEEXU – BaianaSystem
Noturno – Maria Bethânia
Catetê – Roberto Mendes
Outro Volume – (Taxidermia
Axé – Márcia Castro
Cisco no Olho – Ana Barroso

Elsimar Pondé@elsimarponde
(Rádio Jovem Pan Feira – Programa Jornal da Manhã e Rádio Transbrasil – Programa Transnotícias)

Africania – O Curador do Museu do Imaginário
Bando à Flor da Pele – Patuá
Bié dos 8 Baixos – Bié dos 8 Baixos
Daniel da Quixabeira – Doismilivinte
Don Maths – Capa Preta
Fogo Pagô – O Abre Caminhos
Melly – Azul (EP)
Sons de Mercúrio – O Eu Chamado e Outras Jornadas
Rachel Reis – Encosta
Isa Roth – Mais

Fabrício Brandão @fabri.brandao
(Revista Diversos Afins)

BaianaSystem – Oxeaxeexu
Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
OQuadro – Preto sem Açúcar
Flerte Flamingo – Outras Duas Músicas de Flerte Flamingo
Mateus Aleluia – Afrocanto das Nações
Iane Gonzaga – Territóriamente
aocoral – Carne
Jef Rodriguez – Spiritual
Guigga – São João de Maracás – ao vivo na Casa da Borracha
Eloah Monteiro – Em Primeiro Lugar

Ferdinand Jr.
(Cena Rock)

Agrestia – Sanguinolento (EP)
Artur Ribeiro – Memento Mori
CBS Rock Band – Clube dos Bons Sons Rock Band – 1
Dona Iracema – Velório
Inner Call – Leviathan
Jacau – Tropical Nazismo
Jack Doido – Escuro (EP)
Marlargo – Brisa Nórdica (EP)
Pedro Pondé – Simples Assim
Tony & Kelsch – Veneno de Cobra (EP)

Gabriel Soares

OQuadro – Preto Sem Açúcar
Melly – Azul
Ravi Lobo – Shakespeare do Gueto
Rachel Reais – Maresia
Gibi8 & o Poeta – Naipe de Vagabundo
Baiana System – OxeAxeExu
Paulinho Boca de Cantos – Além da Boca
Gil Daltro e Galf AC – Vapor, Vol. 4
Afrocidade – Afrocidade na Pista
Iane Gonzaga – Territóriamente

Gilmar Dantas @gilmardantas
(Programa Segundo Take – UESB FM)

1 – Ana Barroso – Cisco no Olho
2 – Caetano Veloso – Meu coco
3 – Coral – Carne
4 – Dona Iracema – Velório
5 – Forró da Gota – Baianeira
6 – Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
7 – Headhunter DC – A Hail to the Ancient Ones
8 – Jacau – Tropical Nazismo
9 – Marcos Marinho – Aura
10 – Rachel Reis – Encosta

Juliana Dias @julianadias
(Educadora FM 107.5)

Lazzo Matumbi – Ajó
Africania- O Curador do Museu do Imaginario
Ras Elias – Ori-Gens
Sued Nunes – Travessia
Maria Bethânia – Noturno
BaianaSystem – OXEAXEEXU
Jadsa – Olho de Vidro
Amanda Rosa – A Filha Revolta
Luan Sodré Trio – Afrodiaspórico
Majur – Ojunifé

Julli Rodrigues @diletantejulli
(Rede Bahia e blog Ouvindo Coisas)

Nebulosa Baby – GIO
OUTRO VOLUME – TAXIDERMIA
Tempestade – Jotaerre
Olho de Vidro – Jadsa
Feito Raio – Joana Terra
Vem Coisa Boa Pelaí – Ângelo Canja
Azul – Melly
O Tempo e o Vento – Ybytu Emi
Entre Ruínas e Devaneios – Corpo Expandido
Sambadeiras – Luiz Caldas

Lara Teixeira@larateixeiraa
(Tenho Mais Discos)

1- Caetano Veloso – Meu Coco
2- Afrocidade – Afrocidade na Pista
3- Rachel Reis – Encosta
4- Majur – Ojunifé
5- Jadsa – Olho de Vidro
6- BaianaSystem – OXEAXEEXU
7- Melly – Azul
8- OQuadro – Preto Sem Açúcar
9- Paulinho Boca de Cantor – Além da Boca
10- Vândalo – PHODI $ MO MIXTAPE, VOL. 1

Leonardo Cima @lcimagor
(Soterorock)

Agrestia – Sanguinolento
Alibal Conspiracy – Alibalive
André L. E. Mendes – O Rei dos Animais
André Dias – Das Mais Belas Tristezas às Mais Doces Levezas
DJ Letárgico e Technoise – Electronik
Game Over Riverside – A Soteropolitan Summer Night
Jacau – Tropical Nazismo
Letárgico & Eu – Fotografias Musicais de Sentimentos
Pessoa – Não Fique Jururu
Tentrio – Anonimal

Leonardo Leão@leonardoleao.lionman
(Cenas do Subsolo)

Augustus – Deus-Verme
Dona Iracema – Velório
Inner Call – Leviathan
Jacau – Tropical Nazismo
Papa Necrose – Open Infected Body
Scrupulous – Ostia and Genocide
Síndrome K – Aqui se paga
Sons de Mercúrio – O Eu Chamado e Outras Jornadas

Leto Vieira@letovieiraoficial
(Educadora FM 107.5)

1 – Africania ( O curador do museu do imaginário)
2 – Alexandra Pessoa (Tambora)
3 – Flor de Imbuia (Catos de Pisar o Chão)
4 – Gab Ferruz (A-fé-to)
5 – Iane Gonzaga (Territóriamente)
6 – Igor Trovanova (Trovanova)
7 – Jadsa (Olho de Vidro)
8 – Lazzo Matumbi (Ajò)
9 – Márcia Castro (Axé)
10 – OQuadro (Preto sem açúcar)

Luciano Matos
(el Cabong/ Radioca)

Nebulosa Baby – Giovani Cidreira
OQuadro – Preto Sem Açúcar
BaianaSystem – OxeAxéExu
Jadsa – Olho de Vidro
Ana Barroso – Cisco no Olho
Afrocidade – Afrocidade na Pista (EP)
Daniel da Quixabeira – Doismilivinte
Vandal – PHODI$MO MIXTAPE, VOL. 1
Márcia Castro – Axé
Lazzo Matumbi – Ajó

Marcelo Argôlo @marcelopargolo
(Podcast Pop Negro BA/ Colunista do iBahia/ Mix Me)

Afrocidade – Afrocidade na Pista
BaianaSystem – OXEAXEEXU
Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
Jadsa – Olho de Vidro
Lazzo Matumbi – Ajó
Majur – Ojunifé
Mateus Aleluia – Afrocanto das Nações 1
Melly – Azul
Rachel Reis – Encosta
Sued Nunes – Travessia

Nelson Oliveira @nelsonoliveira
(Scream & Yell)

  1. BaianaSystem – OXEAXEEXU
  2. Lazzo Matumbi – Àjò
  3. Márcia Castro – Axé
  4. Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
  5. Rachel Reis – Encosta
  6. Ronei Jorge – Irmã
  7. Afrocidade – Afrocidade na Pista
  8. RDD – Salcity Sounds Vol. 2
  9. Jadsa – Olho de Vidro
  10. Mateus Aleluia – Afrocanto das Nações 1

Paula Carvalho@paulacnc
(Revista Bravo)

Marcia Castro – Axé
Marcelo Galter – Bacia do Cobre
A Travestis – Respeita as Travestis
Maria Bethânia – Noturno
Taxidermia – Outro Volume
OQuadro – Preto sem Açúcar
Ronei Jorge – Irmã
Afrocidade – Afrocidade na Pista
Lazzo Matumbi – Ajó
Vandal – PHODI$MO MIXTAPE, VOL. 1

Pérola Mathias @poroaberto
(Poro Aberto/ Revista Resenhas Miúdas/ Revista A Palavra Solta)

  1. Taxidermia – Outro Volume
  2. Trevo – Água de Flor
  3. OQuadro – Preto Sem Açúcar
  4. Afrocidade – Afrocidade na Pista
  5. Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
  6. Ronei Jorge – Irmã
  7. Vandal – Phodi$mo Mixtape, Vol.1
  8. DJ Berlota – Beat-Tape Berlota, Vol.1
  9. Ofá – Leito D’Água
  10. Japa System – Sistema Percussivo Integrado

Rafael Flores @rafaeh_
(Revista Gambiarra)

Africania – o Curador do Museu Imaginário
Rachel Reis – Encosta
Ana Barroso – Cisco no Olho
Marcos Marinho – Aura
Cajupitanga – Tradição e tradução
Cravinho Dengoso – Do Escambo ao Esquema
Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
Sergio Franco Filho – Senderos
Melly – Azul
Isa Roth – Mais

Ramon Prates @ramonprates
(Bahia Rock)

Agrestia – Sanguinolento (EP)
Asa – Instintos
BaianaSystem – OXEAXEEXU
Dona Iracema – Velório
Gigito – Coleção de Estragos
Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
Jacau – Tropical Nazismo
Jadsa – Olho de Vidro
Ronei Jorge – Irmã
Sergio Franco Filho – Senderos

Renato Cordeiro@renatoscordeiro
(Programa MulticulturaRádio Educadora FM)

Giovani Cidreira – Nebulosa Baby
Márcia Castro – Axé
Jadsa – Olho de Vidro
BaianaSystem – OXEAXEEXU
Africania – O Curador do Museu do Imaginário
Marcelo Galter – Bacia do Cobre
Ana Barroso – Cisco no Olho
Ronei Jorge – Irmã
Maria Bethânia – Noturno
Joana Terra – Feito Raio

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Votação discos baianos de 2020
Os melhores discos baianos de 2020 pela votação popular