Novidades no dial

As rádios baianas há muito estão devendo novidades. Tirando alguns programas específicos, ainda falta criatividade e principalmente ousadia. Como quem manda normalmente nas rádios são os setores de marketing, fica fácil entender o porque de programações tão engessadas e que trafegam na mesmice. Duas novidades estão chegando no dial baiano prometendo novidades.

A primeira já está funcionando e pelo jeito cumprindo o que promete. A 88FM é uam rádio livre legalizada que funciona de 6h da manhã às 00h e tem uma programação voltada para o Pop e Rock. Coisa simples, mas que às rádios baianas não se tocaram. Música pop misturada a rock, incluindo sons que vão de Black Eyed Peas a Cascadura, passando por Oasis, Raul Seixas, Nirvana, Link Park, Cazuza, uma mescla de novidades e boas velharias. Para ouvir basta sintonizar 87,9 Fm em quase toda a cidade ou pela internet no site www.88poprock.com

A outra novidade já vem sendo falada há algum tempo. A Oi Fm vai mesmo estrear por aqui. A informação é que até julho a rádio esteja funcionando. Para se ter uma idéia da programação, a lista das mais tocadas da rádio inclui Keane, Papas da Língua, U2, Natirutz e FatBoy Slim. A rádio inclui programas legais e um espaço para artistas novos. Melhor ou não do que está por ai?

  1. tem uns 15 anos q eu nao ouco radio, ha nao ser quando estou no carro dos outros. um dia desses liguei na 88fm e finalmente posso dizer que ouvi uma sequencia de pelo menos 6 musicas boas, e de rock!

  2. Tenho ouvido ela direto e posso dizer o mesmo. Finalmente temos o que ouvir no dial. Agora, você não deve ter pego, mas a primeira vez que ouvi Teenage FanClub, Primal Sream e algumas outras foi na 96FM. “She Bangs the Drums” fazia parte da progrmação normal da rádio.

  3. aqui em Sergipe sofremos do mesmo mau, talvez com mais dor.
    essa semana tivemos uma boas notícias depois da péssima que foi a venda Liberdade FM, que tinha uma programação interessante, para o dono da Calcinha Preta, a Jovem Pan tá de volta a Aracaju, melhor que nada.
    Abs,

  4. pô, talvez o negócio de ouvir rádio tenha realmente se perdido com todo o lance da tecnologia.

    é duro admitir, mas sou da época de muitas emoções escutando música boa (música boa não é só o que eu ouço, diga-se de passagem) ao alcance de qq um.

    não que eu seja saudosista, mas isso ainda fala alto em tempos de jabá e mercado fonográfico viciado.

    por exemplo, o cd pra mim nunca foi uma mídia importante, música é uma arquivo e faço uso, abuso. agora não há como desapegar do vinil…

    tomara que a rádio tenha mesmo qualidade. pq se sair pelo menos da mesmice que domina o meio hoje já vale uns parabéns. qual o telefone de lá??

  5. Só ouço rádio quando estou em São Paulo. Aqui em Salvador, o panorama ficou tão ruim, e há tanto tempo, que simplesmente abandonei o costume de apertar o botão “tuner” do meu aparelho de som. Agora sei que alguns programas legais estão acontecendo, e que surgiu essa nova rádio que pode vir a ser a esperada “luz no fim do túnel”, mas o meu problema é simplesmente ter esquecido como se ouve rádio. Retomar esse costume perdido há tanto tempo vai ser uma tarefa difícil.
    96FM é aquela que tocava Faróis Acesos e tal? Se for, bons tempos. Era guri quando acompanhava essa rádio, e achava massa. Diz a lenda que ela era transmitida lá do Padang Padang, numa pequena cabine ao lado da barraca. Mas acho que isso deve ter ficado na minha lembrança como fruto da minha imaginação da época de criança.
    Nostalgia.
    Aliás, nostalgia até da Padang Padang, com seus sofás na praia e uma lancha encalhada em plena areia de Stella Mares.

  6. Luciano, meu garouto, por favor, vc poderia me esclarecer o que significa o termo “rádio livre legalizada”? É tipo uma rádio comunitária como nossa saudosa Primavera FM ou rádio universitária como a Rádio Facom ou a Rádio do DCE da UFBA? Ou nenhuma das alternativas anteriores? Valeu!

  7. Luciano, meu garouto, por favor, vc poderia me esclarecer o que significa o termo “rádio livre legalizada”? É tipo uma rádio comunitária como nossa saudosa Primavera FM ou rádio universitária como a Rádio Facom ou a Rádio do DCE da UFBA? Ou nenhuma das alternativas anteriores? Valeu!

  8. Chico, eu coloquei assim para não interpetarem mal, já que agora tem que tudo ser dito no mííííííínimos detalhes, aqui, né? Pois a rádio é tipo a Primavera, rádio livre, comunitária ou seja lá como chamem e com autorização para funcionar.
    Jan, Esse lance de funcionar na Padang é lenda, das boas. Pelo menos pelo que sei. A rádio era em estúdio normal mesmo, uma rádio como outra qualquer, só que com qualidade. Era essa que tocava Faróis Acesos mesmo. Eles lançaram um disco de bandas baianas inclusive, que tem até varias figurinhas dorock baiano de hoje.

  9. Valeu, meu velho. E fique peixe. Eu sei que as pressões tão vindo de tudo qto é lado, mas isso é só um sinal de que vc é o cara. Força aí.

    E como esquecer o disco Rock 96 FM? Foi dele que saiu o hit dono da maior chupação do rock baiano, a música “Soberano”, do Diário Oficial (hoje atendendo pelo nome de Jammil & Uma Noites), com seu riff roubado na cara dura de “Wearing and tearing”, do Led Zeppelin (álbum Coda).

    E a letra, então? Um esforço olímpico de soar “profundo”, um mergulho na lama do nonsense: “Soberano / o sentido da sua vida está no espelho / e não em frente ao portão”. Bluargh!

  10. Caramba, o Jammil é fruto do Diário Oficial? Não sabia.
    E essa música famosíssima é de uma banda baiana? Uau, não sabia também. Ela é tão marcada em minha lembrança que achava que era um hit nacional, quiçá mundial *rs*
    Começo a pensar que essa tal instituição chamada rádio pode ser realmente importante para consagração de artistas locais.

  11. jan, corra pra berinjela mais próxima da sua casa e adquira o livro de ednilson sacaramento sobre histórias do rock baiano: de raul até o início da década de 90. 20 reais, só!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Festival Feira Noise
Festival Feira Noise divulga primeiras atrações