Enquanto o Mutantes não vem

mutantesAinda não foi confirmado o show dos Mutantes em Salvador, mas os fãs da banda (alguém aí não é?) podem aproveitar as novidades da banda. Acaba de ser lançado na Itália um tributo em homenagem ao grupo. “Jardim Elétrico – A Tribute to Os Mutantes” traz 15 faixas com 15 diferentes artistas tocando músicas da banda paulista. Estão lá clássicos como Top Top, Panis et Circenses, Techinicolor, Batmacumba e 2001, além de uma faixa inédita do grupo, Mysterious White Roses, composta e arranjada por Rogério Duprat e tocada ao vivo pelos Mutantes no filme As Amorosas, de Walter Hugo Khouri, em 1968. Nunca lançada em disco, a música é tocada no tributo pela banda punk californiana White Flag. O tributo, lançado pelo selos Madcap Collective e Silly Boy, tem ainda gravações de vários períodos quase sempre cantadas em português por vários nomes indies. Entre elas estão Sean Lennon and Yuka Honda, Wondermints, The Earlies e bandas italianas. Um aperitivo bacana enquanto o prometido disco de inéditas não vem. O álbum, que já vem sendo trabalhado em estúdio pelo guitarrista Sérgio Dias, deve ser gravado em 2008 e terá parcerias com a nova integrante Zélia Duncan e com o baiano Tom Zé. O retorno já ganhou reconhecimento no Grammy Latino, que em sua oitava edição trás Os Mutantes indicados nas categorias de Melhor Álbum Brasileiro de Rock e Melhor Projeto Gráfico. O grupo foi lembrado também na 13ª edição do VMB -Vídeo Music Brasil, premiação promovida pela MTV, na categoria Melhor Show ao lado de nomes de peso. Outro atrativo para quem curte Os Mutantes é a exposição “A Volta dos Mutantes”, que acontece em São Paulo até o fim do mês e traz fotos recentes que mostram os bastidores do retorno da banda.

Briga dos grandes
O Tim Festival pela primeira vez em muitos anos pode perder o trono de festival mais bacana do ano no país. Graças a uma edição legal, mas irregular e sem um brilho a mais, em 2007, parece que o Festival Planeta Terra vai roubar as atenções. Isso porque a produção deve chamar 15 atrações entre nacionais e internacionais. Já foram confirmados os nomes de Lilly Allen, os veteranos do Devo, Datarock, a banda The Rapture e os badalados paulistas do Cansei de Ser Sexy, em show que marca a volta deles ao Brasil depois de sucesso no exterior. Ainda estão cogitados Queens of the Stone Age, Kasabian, Gogol bordello, entre outros. Travis e Starsailor podem ser outros nomes a entrar na lista do festival, já que ambos vão se apresentar no Chile no mesmo período. O evento está marcado para 10 de novembro em São Paulo.

Mais gringos
Por falar em shows gringos, boatos dão conta que o The Cure vai ser a atração do festival Motomix ainda este ano no Rio e em São Paulo. Outro nome que deve se apresentar no evento é o Black Rebel Motorcycle Club. O Melvins é o outro que pode pintar no Brasil como atração do festival Goiânia Noise. Já o Black Eyed Peas tem show confirmado para outubro em Porto Alegre. Em outubro tem ainda Napalm Death e no começo de 2008 deve ter White Stripes.

Mais um retorno?
Mais um retorno especial pode acontecer em 2008. Uma das bandas mais cultuadas do final dos anos 80 e começo dos 90, a My Blood Valentine, pode se reunir para show no festival de Coachella, nos Estados Unidos. O evento, que já promoveu os retornos do Rage Against the Machine e Jesus & Mary Chain, pretendeu reunir em abril de 2008 a banda de Kevin Shields, que está separada desde 1995. Após a apresentação no festival, a banda seguiria em turnê.

Agenda
Lembra da lista de shows da semana passada? Já cresceu. Além das atrações de fora que falamos, em setembro tem por aqui os paulistas do Teatro Mágico e em outubro os pernambucanos da Eddie.

  1. li num site tempo atras q arnaldo e zelia duncam sairam dos mutantes e ateh a banda fez shows em junho na europa sem eles e rolou ateh briga com produtores. procura isso ai. acho q naum rola mais show dos mutantes com arnaldo e zelia e aí perdeu muita a graça da volta deles. salvador dançou de novo.

  2. menino jose henrique

    corri atrás e encontrei o lance q tinha lido. foi em 5 de agosto passado. confira abaixo e se não sabe ler inglês procure tradutor

    menino jose henrique: e não esqueça do seu danoninho q vale por dois bifinho, tá bom?

    Os Mutantes – O sonho acabou ?
    Fiquei intrigada quando soube que Os Mutantes se apresentaram sem Zélia Duncan ou Arnaldo Baptista na Irlanda. A crítica do blog mais cheio de chinfra lá não foi exatamente positiva; achei meio falha. Aí vai o link, com fotos e video.

    Nialler 9

    Depois, soube que eles também se apresentaram sem o Arnaldo Baptista na Escócia. Minha prima, Ariane Oiticica, falou com Sérgio, que estava ocupado com a imprensa.

    Acabei de receber uma confirmação de que houve problema com Arnaldo em Londres. Parece que ele entrou numas e voltou pra casa. Espero que esteja bem. Talvez a pressão de uma tourné mais longa tenha sido demais para ele.

    Aqui vai o mail que recebi direto de Glasgow:

    this is the best I could find, its a msg board post from the Scottish DJ who was linked up with them. He is responding to two other messages.

    1.after Twitch and Mutantes rehearsed

    we ended up having a total of two hours to rehearse so it was a LOT more chaotic / freeform than i anticipated (ie – a shambles). but, we all fell in love with each other and they have invited me to make a record with them. exciting! scary!

    2.one report from the london gig said it was pretty much terrible

    man, the london gig was awesome (imo). down the front surrounded by several hundred brazilians singing every mutantes song word for word was an experience i’ll never forget. those crazy london brazilians were so happy they were crying. also possibly the best looking audience i’ve ever seen.

    sadly arnaldo baptista freaked out after the london gig and had to fly home so the set list was radically changed for the other gigs – lots more ballads, lots less psyche. sergio dias’ spinal tap guitar solos kind of made up for it though. if i didn’t know all the songs i’m not sure what i would have made of it but to hear ‘top top’, ‘panis et circenses’ and ‘el justiciero’ live made my year.

    Hope this helps.
    It was a shame Arnaldo wasn’t there.

    Posted by llcool(jw) on Sunday, August 05, 2007 at 12:10 AM

    Torço para que Arnaldo fique bem e que o sonho não tenha acabado; apenas entrado em pausa para reciclagem das baterias.

    MUTANTES live in Dublin
    Os Mutantes live was definitely not what I was expecting. In a woefully attended Vicar Street, Os Mutantes with one original member missing (Arnaldo Baptista) and (judging by photos and videos I had seen previously) two other members – a guitarist and a lead singer (Zélia Duncan). There were mentions of sickness and kidney problems but the show went on. From the outset, it was as if there was an invisible wall between the stage and the audience that made the gig seem like it was going to suck. The first few songs did little to capture the imagination of the audience aside from native Brazilians who knew some of the songs. Something was lacking and it was definitely to do with the missing band members.
    Little by little however, the songs got stronger and the performance took on more flair and energy. Sergio Dias is a quietly charasmatic frontman and I’d liken him to a Brazilian Paul McCartney but the rest of the band apart from the older drummer seemed to be made up of session musicians and I don’t think this went unnoticed in the first half. The band were clearly enjoying themselves but the audience were not convinced. I heard Western influences laid bare in the songs: over-reaching psychedelic guitar solos with too much pomp, songs that sound like the Beatles (I was sure we were in for a “Na na na” Hey Jude Style chorus), Steely Dan and a few songs that go into prog-rock and Santana terroritory. Gradually, it became better and better until there were a lot of dancing feet.
    It was the last five songs where Mutantes really salvaged the gig however. Playing a great version of “Bat Macumba” with a bridge which took away the syllables of the chorus line and built it back up again syllable by syllable and erupted into an almighty “BAT MACUMBA!” at the end and a great version of “Panis Et Circensis” really got the crowd going. So not a classic gig by any means then considering the high regard Os Mutantes have in music circles but what could have been a complete disaster ended in a minor victory.
    An interesting sidenote for friends: The bass player looked so much like my mate Sean, it was uncanny. I just kept thinking it was him on stage!

  3. Tava tomando Danoninho, pô.
    Bom pra caramba, docinho! ehehehee
    Menino Julio é bem informado, sua tia da escola tá de parabens. ehehhee
    Um abraço.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Grammy latino
Baiana System, Luedji Luna, Orquestra Afrosinfônica estão entre os indicados ao 22º Grammy Latino