Timbalada através de versões: de Caetano e Marisa Monte a Tincoãs e Luis Kalaff

Os Tincoãs

Em seus 30 anos de trajetória, a Timbalada ganhou o mundo, lançou discos, fez sucesso nacional, excursionou no exterior e ganhou versões de vários artistas de peso. Reunimos aqui algumas dessas principais versões gravadas por nomes como Caetano Veloso, Marina Lima e Marisa Monte. Tem também o outro lado, a Timbalada regravou várias música sem suas três décadas de existências, muitas delas famosas com suas gravações originais . Algumas algumas delas, porém, a Timbalada meio que tomou pra si e fez versões bem particulares e muita gente nem sabe que na verdade são de outros autores. Vamos conhecer esses dois lados das versões da banda.

Caetano Veloso – Mimar Você
(Alain Tavares/Gilson Babilônia)

Gravado no álbum Noites do Norte ao vivo do bardo baiano, “Mimar Você” ganhou várias outras versões por artistas que iam de Virgínia Rodrigues a Akundum e Inimigos da HP.

Marina Lima – Beija flor
(Xexéu/Zé Raimundo)

Um dos maiores sucessos da Timbalada ganhou versões de vários artistas da música brasileira de gerações diversas, como Marina Lima, que em sua versão deu outro clima à música e lançou até um clipe dela. Emílio Santiago, Elba Ramalho e Johnny Hooker forma alguns dos outros que regravaram o clássico de Xexéu.

Fafá de Belém – Margarida Perfumada
(Carlinhos Brown/Cícero Menezes)

A cantora paraense regravou a música da Timbalada no disco, Coração Brasileiro, que trazia ainda, entre outras, composições de Michael Sullivan, frevos clássicos e uma música de Ramon Cruz, baterista que tocou e foi gravado por vários nomes da axé music. Emílio Santiago também fez sua versão de “Margarida Perfumada”.

Marisa Monte – Pedindo pra Voltar
(Carlinhos Brown/ Alain Tavares)

A cantora Marisa Monte tem uma relação forte com a Timbalada quase desde o início. Gravou no disco ao vivo da banda e acabou criando uma forte relação e parceria com Carlinhos Brown, que rendeu composições e várias gravações de músicas do baiano, além, claro, do Tribalistas. Essa é mais uma, que já havia sido gravada pela Timbalada em Alegria Original (2006) e Marisa em seu álbum Infinito ao Meu redor (2008).

Elba Ramalho – Choveu Sorvete (La Salve de las Antillas)
(Luis Kalaff/Vrs. Carlinhos Brown)

Originalmente, essa música é do rei do merengue, o dominicano Luis Kalaff. Brown pegou a música e deu sua versão, que foi gravada no segundo disco da Timbalada. Cinco anos depois, em 1999, Elba Ramalho regravou a música em seu álbum Solar.

Chacrinha e seu Coral – Fricote da Terezinha
(Carlinhos Brown)

Nem todo mundo sabe, mas antes dessa música ser gravada pela Timbalada, Abelardo Barbosa, o Chacrinha, lançou em 1987 um compacto com ela em ritmo de marchinha. A faixa trazia participação de Zé Paulo e arranjos e regência de Alfredo Moura. Brown, na verdade, havia feito a música para o Velho Guerreiro e anos depois que resgatou para a Timbalada.

Não foi só essa música de Luis Kalaff que a Timbalada regravou com tempero próprio. A banda ganhou músicas inéditas de Jorge Ben Jor e Nando Reis, regravou música de Chico Buarque, mas dessa história de gravar composições de outros autores, o mais interessante foi quando deram nova vida a elas. Uma das maiores influências de Carlinhos Brown e da própria banda, por exemplo, o grupo vocal Os Tincoãs, ganhou duas versões com a banda.

Os Tincoãs – Na Beira do Mar
(Mateus/Dadinho)

Presente no homônimo primeiro álbum do grupo, de 1973, é um dos maiores sucessos da carreira do trio baiano e uma bela homenagem a Yemanjá.

Timbalada – Na Beira do Mar
(Mateus/ Dadinho)

A versão está presente no álbum Mãe de Samba, traz vocais de Denny e participação de Carlinhos Brown.

Os Tincoãs – Obaluaê
(Adaptação Mateus/ Dadinho/ Heraldo)

Outro sucesso do clássico primeiro disco d’Os Tincoãs, agora uma interpretação de um cântico do candomblé adaptada pelo trio Mateus, Dadinho e Heraldo.

Timbalada – Ashanšu
(Domínio Público/Adpt. Carlinhos Brown/Adpt. Mateus)

Na voz de Carlinhos Brown, a Timbalada regravou a música com o outro título, agora “Ashanšu”, e numa adaptação assinada por ele ao lado de Mateus Aleluia, que integrou Os Tincoãs. A gravação primeiro fez parte da trilha sonora do filme O Milagre do Candeal, de 2004. depois integrou o álbum da Timbalada de 2003, Serviço de Animação Popular, ambas com participação de seu Mateus. A música é uma homenagem a Obaluaê, Orixá da saúde e da cura, o senhor das almas.

Edson Gomes – Perdido De Amor
(Edson Gomes)

O maior reggaeman do Brasil deixou alguns clássicos em sua longa trajetória, normalmente com críticas sociais. As canções mais românticas, no entanto, também tinham espaço. Um de seus maiores sucessos, “Malandrinha”, é uma delas. Outra é esta preciosidade, lançada por ele em seu disco Apocalipse, de 1997.

Timbalada – Perdido de Amor
(Edson Gomes)

Coube a Timbalada levar a música para outro patamar de sucesso, regravando-a no disco ao vivo Vamos Dar a Volta no Guetho – Ao Vivo, lançado em 1998, um ano após a original. A força da banda e o vocal forte de Ninha deram outro clima para música. Outra música de Edson Gomes regravada pela banda foi “Árvore”, no álbum Timbalismo, de 2001.

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Como Piazzolla me mostrou o futuro do arrocha