Se os encontros da música brasileira foram marcantes, na música internacional alguns deles foram antológicos. Reunimos alguns dos principais deles em 2012, um apanhado de bandas e músicos que se encontraram num palco em algum canto do planeta. Tem de tudo, novos e veteranos, famosos e menos conhecidos… confira.

Já na virada de 2011 para 2012 vimos alguns encontros marcantes. Na Austrália, o Arctic Monkeys começou o ano com um show com participação de Miles Kane, que tocou na The Rascals e The Last Shadow Puppets. Os britânicos e o amigo de longa data tocaram pela primeira vez ao vivo “Little Illusion Machine (Wirral Riddler)”.

Também numa festa de reveillon, um encontro de gente grande, Steven Tyler, Alice Cooper e “Weird Al” Yankovic tocaram juntos “Come Together”, dos Beatles, em um show no Maui.

No Festival Coachella, a requisitada banda The Black Keys recebeu John Fogerty, cantor, guitarrista e compositor norte-americano, fundador e ex-líder da banda de country rock Creedence Clearwater Revival. Juntos mandaram a música “The Weight” da grande The Band.

O Black Keys rendeu outro encontro interessante. O ator Johnny Depp ganhou o Prêmio Geração do MTV Movie Awards 2012 e, ao invés do discurso de agradecimento, pegou a guitarra e se apresentou ao lado do The Black Keys. Juntos eles tocaram ‘Gold on the Ceiling’ e ‘Lonely Boy’.

No Bridge School Benefit, evento beneficente organizado por Neil Young, o mestre recebeu diversos convidados e acredite, entre eles, um inesperado Guns N’ Roses. A banda de Axl Rose se apresentou, acredite, no horário nas duas noites de evento e na segunda, chegou a convidar o próprio Neil Young para uma performance de “Don’t Let It Bring You Down”, do músico.

Já havia rolado em 2010, mas em 2012, aconteceu mais uma vez o bacana encontro do Wilco com Andrew Bird. Juntos, num show no Illinois (EUA), tocaram a linda “Jesus, etc”, do Wilco.

O mestre das participações especiais é Dave Grohl. Cara legal, querido por todo mundo, com passado e presente em banda respeitável, grande músico… Já gravou e tocou com meio mundo de gente. Entre outras participações em 2012, num show do Cage the elephant, que abria as apresentações da turnê do Foo Fighters, ele assumiu as baquetas substituindo o baterista da banda que teve uma inflamação no apêndice. Grohl se candidatou na hora para assumir as baquetas e salvar o show. Em retribuição, o Cage the Elephant editou um video da música ”Aberdeen”, em que Dave entra em ação.

O grande momento de Dave Grohl no ano, no entanto, teria sido outro. Aguardado por milhões de pessoas ao vivo numa transmissão para o mundo inteiro pelo Youtube e pela TV, uma apresentação reuniria pela primeira vez o Nirvana desde o fim da banda, tendo simplesmente Paul McCartney como vocalista. Aconteceu no Madison Square Garden, em Nova York, no Concert for Sandy Relief, evento que reuniu diversos músicos e comediantes para levantar fundos para auxiliar as vítimas do furacão Sandy, que assolou a costa oeste dos EUA. No palco, Dave Grohl, Krist Novoselic, Pat Smear e sir Paul McCartney tocaram pela primeira vez uma nova música escrita pelos e chamda “Cut Me Some Slack”. Grohl falou sobre a a apresentação e a música: “As pessoas esperavam que tocássemos algo dos Beatles ou do Nirvana. Mas quando chamei Paul para uma jam, não era essa a ideia. Queríamos fazer uma música nova. Escrevemos ela em um dia, é uma faixa pesada pra caramba”.

O evento também teve outros momentos de encontros interessantes, como o dueto entre o cantor do Pearl Jam, Eddie Vedder, e o ex-líder de Pink Floyd, Roger Waters, cantando “Comfortably Numb”, do Floyd.

Do mundo indie, um encontro de dois guitarristas sensacionais. O ex-Sonic Youth Lee Ranaldo e sua nova banda receberam Nels Cline, guitarrista com diversas atividades e atualmente integrante do Wilco.

Outro encontro com um ex-Sonic Youth, aconteceu em Londres. Num show do Primal Scream, Bobby Gillespie convidou Kim Gordon para acompanhar a banda durante duas músicas, no repertório “I Want You” dos Troggs e “I Wanna Be Your Dog”, dos Stooges.

O auge dos encontros indies foi no 25 º aniversário do segundo álbum do Dinosaur Jr, “You’re Living All Over Me”. O show, que aconteceu em Nova York, teve J Mascis e companhia tocando o disco de 1987 na íntegra e recebendo diversos convidados para covers sensacionais. Na lista: Black Francis (Pixies), Johnny Marr (The Smiths/Modest Mouse), Kim Gordon (Sonic Youth), Lee Ranaldo (Sonic Youth), Dale Crover (Melvins), entre outros. Vamos ver algumas destas apresentações, que levaram o púbico presente ao delírio (e como não?). Com Black Francis, o Dinosaur Jr mandaram “Tame”, música do Pixies, numa versão pesada, suja e sensacional.

Com Johnny Marr, o Dinosaur Jr apresentou duas músicas, entre elas o clássico hit do Smiths, “The Boy With The Thorn In His Side”.

Um dos encontros mais sensacionais foi novamente com Paul McCartney como protagonista, desta vez ao lado de Bruce Springsteen e com o guitarrista do Rage Against the Machine, Tom Morello. Juntos no palco, num show de Bruce no Hyde Park, em Londres, cantaram “I Saw Her Standing There” e Twist & Shout”, dos Beatles.

O show porém, marcou não só pelo encontro dos monstros do rock tocando grandes músicas, mas por um fato infeliz. A organização do festival Hard Rock Calling havia combinado que a apresentação de Bruce Springsteen acabaria às 23:15, respeitando o horário limite da Lei do Silêncio londrino. Os veteranos, no entanto, se empolgaram e ultrapassaram o horário estabelecido, e por volta das 23:40, a organização do festival preferiu desligar os plugues dos instrumentos do palco evitando pagar a grande multa estabelecida pela quebra do acordo.

Paul e Bruce haviam terminado a apresentação e nem chegaram a se despedir do público. Os músicos da banda ainda continuaram em cima do palco por algum tempo, como se estivessem esperando para tocar mais. O guitarrista Steve Van Zandt se mostrou indignado com o fato e escreveu um longo texto dizendo que “os tiras ingleses talvez sejam os únicos indivíduos no planeta que não tenham vontade de ouvir um pouco mais de Bruce Springsteen e Paul McCartney!”.

O fato é que foi um momento histórico, inclusive para os envolvidos. Antes de começar a tocar com Paul, Bruce afirmou: “Eu esperei por isso por 50 anos”. Confira que coisa linda.

E que tal um dos encontros musicais mais fantásticos que a TV já viu nos últimos anos e que não pode ser mais visto? É, isso mesmo, aconteceu no programa humorístico Saturday Night Live, mas a NBC, ou algum outro ser não sintonizado com os novos tempos, tirou os vídeos do ar. O encontro reuniu Mick Jagger e diversos convidados. Começou com um convite para Jagger apresentar e ser a atração musical do final de temporada do Saturday Night Live. Ele ainda fez imitações, inclusive de Steven Tyler, vocalista do Aerosmith. Mas não quis os companheiros de sempre do Rolling Stones e resolveu incrementar o convite. A procura de uma banda a NBC convocou o Arcade Fire para tocar a clássica ‘The Last Time’, do álbum “Out of Our Heads”, de 1965. Para completar o responsável pelo baixo foi Nikolai Fraiture, do The Strokes. No final do programa, Mick chamou novamente o Arcade Fire para tocar ‘She’s a Rainbow’ e ‘Ruby Tuesday’ em homenagem à humorista Kristen Wiig, que se despedia do programa da NBC.

Mas a noite do Saturday Night Live com Mick Jagger reservava mais surpresas. Dave Grohl, olha ele ai de novo quase onipresente, junto com seu Foo Fighters também subiram no palco para um medley arrebatador com ’19th Nervous Breakdown’ e o hino ‘It’s only Rock ‘n’ Roll (but I like it)’. Note a felicidade suprema de Pat Smear e a energia inacreditável de Jagger.

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais