Livro aborda nova música pop negra de Salvador

Lançada em formato digital, publicação de Marcelo Argôlo reúne entrevistas com BaianaSystem, Larissa Luz, Luedji Luna, Afrocidade e ÀTTØØXXÁ.

Além de ouvidas, as cenas musicais das cidades precisam ser debatidas, contextualizadas e entendidas para além de meras expressões sonoras. É isso que faz o jornalista e pesquisador musical Marcelo Argôlo em seu livro Pop Negro SSA: cenas musicais, cultura pop e Negritude, no qual mergulha na produção musical atual de Salvador, conectando comunicação, música e ativismo negro.

Veja também:

Filme relembra o festival que uniu música negra e política.
Discos: Primeiro álbum de Majur traz o afropop, mas não para por aí.

Lançado em formato e-book e com download gratuito através do site popnegrossa.marceloargolo.jor.br, Argôlo tenta compreender a produção musical contemporânea através da ocupação dos espaços urbanos, da relação com as redes sociais e a defesa da pauta do antirracismo.

O livro traz reflexões que o autor vem desenvolvendo desde 2019 no Mestrado em Comunicação na UFRB. São pouco mais de 80 páginas, que traz uma primeira parte com conceitos sobre cenas musicais, cultura pop e negritude. Numa segunda, Argôlo focaliza a discussão em Salvador através de entrevistas com alguns dos principais nomes do cenário contemporâneo que surgiram na cidade e região metropolitana. Ele mostra as visões de  uma geração através de Roberto Barreto (BaianaSystem), Larissa Luz, Luedji Luna, José Macedo (Afrocidade) e Rafa Dias, Oz e Chibatinha (ÀTTØØXXÁ).

Segundo o jornalista, sua preocupação com o livro foi mostrar as possibilidades de pensar uma música pop do Sul Global a partir de referenciais negras e representada por bandas e artistas negras. “A gente sempre tem um imaginário do pop com um espaço de divas estadunidenses e, na maioria das vezes, brancas. Quero disputar esse entendimento e mostrar que o pop também pode ser Negro e Baiano, tanto na musicalidade, quanto no discurso e na representatividade”, diz.

O recorte dos artistas é fruto da pesquisa que começou em 2019 e que tentava entender a cena musical que vinha se desenvolvendo em Salvador desde o início dos anos 2010, e que a partir de 2015 passou a ter uma circulação nacional. “Percebi que era uma geração de bandas e artistas que estavam promovendo um outro entendimento para a música baiana”, diz. “Antes de pensar em falar sobre música pop baiana engajada no artivismo negro, eu buscava entender o que esse grupo de artistas tinha em comum e como estavam promovendo essa transformação. À medida que fui avançando nas análises, consegui captar essa associação entre cultura pop e negritude como esse fator de virada de chave”, completa.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

pop negro ssa

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
shows semana Salvador
Veja os shows de destaque dessa semana em Salvador