Festival Move celebra nova música baiana com shows virtuais

Totalmente online e gratuito, evento dá lugar ao Festival Caymmi e terá nomes como Livia Nery, Marcola Bituca, Sonora Amaralina, Dona Iracema e Zuhri.

O Festival Caymmi de Música mudou de nome e agora se chama Festival Move – Música em Movimento. O objetivo segue o mesmo: fomentar, reconhecer e revelar a nova produção musical baiana. Em sua nova edição,  totalmente virtual e gratuita, o evento terá shows de 10 artistas baianos, entre os dias 20 e 29 de agosto, além de oficinas e encontro sobre música. A seleção musical conta com Livia Nery, Marcola Bituca, Ana Barroso, Dona Iracema, Jordi Amorim, Panteras Negras, Sonora Amaralina, Joana Terra, Tangolo Mangos e Zuhri.

As apresentações serão gravados e exibidas no canal do festival no YouTube, sempre a partir das 19h. Os selecionados foram escolhidos por uma curadoria formada pelo instrumentista e professor Rowney Scott, a cantora e compositora Manuela Rodrigues e o jornalista Luciano Matos (editor do el Cabong). A direção musical é de Yacoce Simões.

Veja também:

Festival Suíça Bahiana promove conexão entre artistas em edição online.
20 novos clipes de artistas brasileiros que você já deveria conhecer.
Filme relembra o festival que uniu música negra e política.

Entre os indicados estão artistas de vários gêneros e estilos, do rap à música instrumental. Do produtivo universo do rap baiano, dois nomes foram selecionados. O cantor e compositor Marcola Bituca, que acabou de lançar seu novo EP La Travessia, e a banda Zuhri, que produz um rap jazz, com sopros e muito groove e também tem um trabalho recém lançado, o álbum Por Onde Andei Não Imaginava Chegar Até Aqui…

Outras quatro bandas também foram selecionadas. A Panteras Negras, um quarteto instrumental formado por mulheres negras e LGBTQ e com influências de afro, afoxé, samba-reggae e música afro-cubana. A Sonora Amaralina, uma orquestra de cumbia tradicional formada por 9 músicos com raízes diversas na América Latina, num encontro de Argentina, Chile, Uruguai e Bahia.

Indo para o mundo do pop e rock, a banda Tangolo Mangos, apresenta uma sonoridade roqueira, mas que trafega pela neo-psicodelia, ritmos nordestinos e MPB. O grupo já lançou dois EPs e prepara um primeiro disco cheio para breve. Já a Dona Iracema, de Vitória da Conquista, mostra um rock mais pesado e bem humorado, sem perder o ar transgressor e uma bem dosada mistura com ritmos nordestinos.

A lista dos artistas indicados traz ainda a cantora, compositora e produtora Livia Nery, com um trabalho contemporâneo, que une MPB e eletrônica, canções e synths, timbres e sonoridades. Enquanto Ana Barroso, que lançou seu álbum de estreia, Cisco no Olho, recentemente, segue um caminho mais tradicional, com uma MPB carregada de musicalidade do Nordeste brasileiro. Joana Terra, que soltou este ano seu segundo álbum,  Feito Raio, também segue por estas sonoridades brasileiras/ nordestinas.

A música instrumental aparece com o guitarrista Jordi Amorim, que tem passagem pela Timbalada e Coletivo Rumpilezzinho, e um trabalho marcado pelo encontro do jazz com a música afro baiana.

Programação:

  • Sexta-feira (27)
    Zhuri
    Jordi Amorim
    Dona Iracema
  • Sábado (28)
    Marcola Bituca
    Ana Barroso
    Sonora Amaralina
  • Domingo (29)
    Joana Terra
    Tangolo Mangos
    Panteras Negras
    Livia Nery

Além da programação de shows, o evento terá também uma série de oficinas gratuitas sobre a indústria da música. Ministradas por nomes de destaque nacional, as atividades também serão realizadas em ambiente online totalmente gratuito também no canal do festival no YouTube.

A primeira será a mesa de debates online Encontro Música em Movimento, que acontece, nesta sexta-feira (20), às 15h. Com a proposta de refletir sobre o impacto da na música, a mesa reúne o produtor musical Alê Siqueira, o jornalista e crítico musical Sérgio Martins, o produtor, arranjador e diretor musical Yacoce Simões e a advogada atuante em Direito do Entretenimento, Música e Audiovisual e Gestão de Direitos Autorais, Verônica Aquino. Os curadores do festival, Manuela Rodrigues e Rowney Scott também marcam presença no encontro.

As atividades seguem no dia 23 de agosto (segunda-feira), às 19 horas, com Sérgio Martins e uma oficina com o tema Como entender a grande mídia no âmbito do mercado musical. No dia seguinte, terça-feira (24), Alê Siqueira comanda uma oficina de Produção Musical às 15 horas. Na quarta-feira (25), às 19 horas, Yacoce Simões lidera a oficina sobre Produção de Conteúdo Musical Durante a Pandemia. Encerrando a agenda dos encontros sobre música, no dia 26 (quinta-feira), às 19 horas, Verônica Aquino fala sobre Música, Direitos Autorais e os Desafios do Digital.

Promovido pela Via Press Comunicação,  o festival foi selecionado pelo Prêmio das Artes Jorge Portugal 2020 – 1ª Edição – Premiação Aldir Blanc Bahia, tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Confira playlist com os artistas selecionados

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Rock Concha
Festival Rock Concha vai para Clube Espanhol e divulga programação