Dois festivais exaltam a música negra neste fim de semana

O fim de semana de 9 a 11 de abril vai ser de celebração da música negra baiana e brasileira com uma programação recheada nos Festivais Batida das Pretas e Afromusic #2. O primeiro promove o fortalecimento da cena baiana através de mulheres negras, recebendo Márcia Short, Veronas, Iane Gonzaga, Panteras Negras, Amanda Rosa e Viviane Pitaya. O segundo contará com artistas que transitam entre diversos gêneros, com nomes como como Jup do Bairro, Izzy Gordon, Mental Abstrato e Bloco Ilu Inã. Ambos terão transmissão gratuita pelo YouTube.

Veja também:

Um guia para entender o novo álbum do BaianaSystem faixa a faixa.
Os 20 livros sobre música lançados em 2020 que você deveria ler.
A nova música do Nordeste através de 35 videoclipes.

A ideia do Festival Batida das Pretas é “promover um espaço de troca, incentivo e fortalecimento entre mulheres negras e indígenas atuantes na cena musical baiana”. Para isso, o evento recebe as cantoras Márcia Short, Iane Gonzaga, Amanda Rosa e Viviane Pitaya e as bandas Panteras Negras e Veronas. A programação gratuita e online acontece sempre a partir das 15 horas nos dias 10 e 11 de abril pelo canal do Youtube: Batida das Pretas.

Mesclando música, poesia e humor, o festival vai reunir artistas estabelecidas e novidades. No meio musical, o principal nome é a cantora Márcia Short, importante figura da axé music, especialmente no período à frente da Banda Mel. Com 30 anos de carreira, ela vai apresentar o show Portal Black, com sucessos do repertório Afropop. Ao lado dela, cantoras e compositoras da nova geração, como Iane Gonzaga, também uma das idealizadoras do festival, Viviane Pitaya e a cantora e MC Amanda Rosa, vencedora do 18º Festival de Música da Educadora FM na categoria música com letra. Além delas, as bandas Veronas que mostra uma mistura de MPB, rock e ijexá, e Panteras Negras, autodenominada como a primeira banda instrumental negra LGBTQI+ do mundo, com um repertório de afoxé, samba-reggae, música afro-cubana e poesia. 

Para a produtora Camila Brito, uma das idealizadoras e coordenadora geral do evento, “Batida das Pretas” é um projeto de aquilombamento na música. “As mulheres negras são fundamentais na história da música, isso é inegável, no entanto, ainda convivemos com uma profunda desigualdade neste mercado, em seus diversos elos da cadeia produtiva, e isso impacta diretamente no desenvolvimento dessas carreiras”, diz. “Nosso intuito com este projeto é aquilombar e fortalecer as mulheres negras e afro-indígenas, assumindo a música como linguagem mobilizadora na reafirmação de legados e existências ancestrais”, ressalta Camila.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Jup do Bairro é uma das atrações do Fest Afromusic | Foto: Sérgio Fernandes

Criado em 2017, o festival Afromusic chega a sua segunda edição buscando amplificar o protagonismo preto no cenário musical em São Paulo. O evento também mescla nomes mais conhecidos com novidades, sempre buscando uma mistura de ritmos tradicionais, contemporâneos e futuristas. Entre os destaques estão a multiartista trans paulistana Jup do Bairro, revelação em 2020; e a cantora e compositora, também paulistana, Izzy Gordon, que mescla jazz, blues, funk, rap e MPB.

O festival terá ainda shows autorais de Gê de Lima, Renato Gama, Biel Lima e Fabriccio, além do encontro do grupo Mental Abstrato com a rapper baiana Mana Bella, a banda instrumental Nova Malandragem, com clássicos do samba rock, o Ballet Afro Koteban com música e dança ancestral e o Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã. Além das apresentações musicais, o evento contará com uma série de entrevistas abordando temas ligados à música e sociedade.

Totalmente gravado no Teatro de Contêiner, no centro de São Paulo, e exibido de forma gratuita pela internet, o festival tem como objetivo dar visibilidade a produção musical e cultura negra. “Estamos no país mais preto fora da África e é fato que a população preta e originária do Brasil inscreveu expressões vitais em nossa identidade até os dias atuais”, reflete Hever Alvz, idealizador e curador do festival. Segundo ele, “o Afromusic #2 é um convite para conhecer um universo que enaltece a música preta brasileira e mostra com quantos tons é feito um encontro que fortalece a herança e a imensa criatividade do povo preto”.

A realização do festival tem patrocínio do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

SERVIÇO

:: FESTIVAL BATIDA DAS PRETAS ::
10 de Abril (sábado): Márcia Short, Veronas e Amanda Rosa
11 de Abril (domingo): Iane Gonzaga, Panteras Negras e Viviane Pitaya
Horário: A partir das 15h
Online e Gratuito
Youtube Batida das Pretas: http://bit.ly/batidadaspretas

:: FESTIVAL AFROMUSIC ::
09 de Abril (sexta):
19h – Izzy Gordon| 20h – Biel Lima | 21h – Jup do Bairro
10 de Abril (sábado)
19h – Fabriccio | 20h – Renato Gama | 21h – Mental Abstrato feat. Mana Bella | 22h – Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã apresenta “MacumBrass”
11 de Abril (domingo)
19h – Ballet Afro Koteban | 20h – Gê de Lima | 21h – Banda Nova Malandragem convida Walmir Gil
Horário: A partir das 19h
Online e Gratuito
Pelo canal Universo Afromusic – youtube.com/universoafromusic

 

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Popload Festival: Sol, calor, pop e a poderosa PJ Harvey