Festival Abril Pro Rock

Reduzido e resistente, festival Abril Pro Rock divulga programação

Um dos mais importantes e duradouros festivais do Brasil, o Abril Pro Rock (abrilprorock.com.br), em Recife, chega a sua 24ª edição enfrentando os dilemas de quem aposta na música autoral, criativa e independente. Mesmo estabelecido e consolidado, o evento este ano teve que mais uma vez diminuir de tamanho e reduzir a participação dos convidados internacionais. O que eram três noites foram reduzidas para apenas duas, e um dos dias foi deslocado para uma casa de médio porte. Este ano serão apenas três nomes estrangeiros e nenhum deles de maior apelo. Assim mesmo, o festival, que acontece nos dias 29 e 30 de abril, segue apostando nas novidades da música brasileira e no velho, surrado e resistente rock pesado.

Veja também:
– Festival Zons aposta na diversidade e recoloca Sergipe no mapa.

O produtor do festival, Paulo André, ressalta que o festival muda todo ano e tem que se adaptar a realidade. Na primeira noite pop, o Abril Pro Rock deixa o Classic Hall, para 15 mil pessoas e vai para o Baile Perfumado – uma casa para 3.5 mil pessoas. Lá reúne alguns dos nomes que se destacaram na música brasileira nos últimos anos, como as cantoras Alice Caymmi e Tiê e o cantor gaúcho Filipe Catto. “Ano passado, a noite pop foi mais rock, mas não tem fórmula, depende do momento. Este ano está focada na nova música brasileira dos anos 2010. Estamos caminhando pros 25 anos e pensando na renovação, tanto da público, como da cena”. Ele lembra que Alice e Filipe só fizeram um show no Recife, em teatro, e agora vão pela primeira vez se apresentar em um festival na cidade. 

Além da sempre concorrência com o carnaval do Recife, apontado ironicamente pelo produtor como o maior festival de música pop do Brasil, esse ano teve crise e diminuição de patrocínio, o que fez cair a noite de abertura, que se no ano passado homenageou os anos 70 e este ano iria prestar tributo aos 80. “A ideia era uma noite dos 80, mas tivemos cortes nos patrocínios, não rolou. Mas, já estamos trabalhando a edição de 2017, a 25ª. E essa noite dos 80 vai acontecer. Em um ano desses, eu até comemorei a redução”.

Com ou sem grana, a aposta do festival em novidade continua. E se nomes estabelecidos como Nação Zumbi, Siba, Otto, Eddie ou Karina Buhr não estão na grade do evento, é mais uma chance de ver como a produção pernambucana contemporânea continua fértil. Este ano o festival reúne alguns nomes dessa cena, como Graxa, Em Canto e Poesia, bandavoou e Pierre Tenório. Paulo destaca os dois nomes do interior: Pierre, de Belo Jardim, e o Em Canto, de São José do Egito. “Pierre é performático, na onda de Johnny Hooker e Liniker. É legal ver surgir uma geração assim, novos Neys (Matogrosso), em um país machista como o nosso”. Completam a programação do primeiro dia os gaúchos da Jéf e os paranaenses Os Transtornados do Ritmo Antigo.

A clássica noite do metal – Se a Classic Hall se tornou grande demais para a noite pop, a noite do metal continua garantida na casa de show, mesmo sem apostar em grandes nomes internacionais do gênero. Os três convidados estrangeiros esse ano são os belgas da Evil Invaders, thrash metal dos anos 2010, e os norte-americanos Malevolent Creation e Warrel Dane. “O Malevolent é uma banda clássica, vai na linha de Obituary e Cannibal Corpse que trouxemos recentemente. Já Warrel Dane é o vocal das bandas Sanctuary e Nevermore”.

O maior trunfo este ano, no entanto, talvez esteja em duas bandas brasileiras clássicas do Metal: Viper e Korzus. Ambas com mais de 30 anos de atividade. A Viper traz o vocalista Andre Matos, ex Angra, e o show do disco ‘To Live Again – 25 years’, que desde o ano passado celebra a história do grupo. A Focada no trash metal, a Korzus mostra seu o show de seu últimos disco, ‘Legion’, de 2014. O dia do metal terá também Robertinho de Recife, com seu show Metal Mania, além de nomes como os paulistas Oitão, NervoChaos e Questions, os paranaenses Sick Sick Siners, os sergipanos da [MAUA] e os locais Terra Prima, Confounded e Monticelli.

Outra atração que permanece é a expo Poster Arte Design, que chega este ano a 5ª edição, no Mamam – Museu de Arte Moderna. Um dos andares será com material de Chico Science, homenageando seus 50 anos. “Homenagem com a estética, não necessariamente nos palcos, o que seria óbvio. Contribuir com a memória, é o que ele mais precisa”, explica Paulo .

PROGRAMAÇÃO ABRIL PRO ROCK 2016

29 de abril – Baile Perfumado
Alice Caymmi (RJ)
Tiê (SP)
Filipe Catto (RS)
Graxa (PE)
Jéf (RS)
Em Canto e Poesia (PE)
Os Transtornados do Ritmo Antigo (PR)
bandavoou (PE)
Pierre Tenório (PE)

30 de abril – Classic Hall

Malevolent Creation (EUA)
Warrel Dane (EUA)
Robertinho de Recife (PE)
Korzus (SP)
Viper (SP)
Terra Prima (PE)
Evil Invaders (BEL)
Oitão (SP)
NervoChaos (SP)
Sick Sick Siners (PR)
Questions (SP)
Confounded (PE)
Monticelli (PE)
[MAUA] (SE)

Serviço:
Petrobras apresenta Abril pro Rock
Data: 29 e 30 de abril de 2016
Local: Baile Perfumado e Classic Hall
Ingressos:
R$35 (meia-entrada)
R$ 45 + 1kg de alimento não perecível (social)
Pontos de venda serão divulgados em breve.

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
BaianaSystem lança música “nova” e divulga agenda de Carnaval