Independente como nunca, Festival Big Bands divulga programação

Big bands programação

Festival Big Bands divulga programação de sua quarta edição, que acontece de 26 de outubro a 6 de novembro, em diversos bares, casas de shows e espaços de Salvador.

Certa vez o líder da bandas Walverdes, Gustavo Mini, definiu esse universo da música independente de forma certeira. Para ele produzir música, festivais, shows, discos e, porque não, blogs, independentes é se permitir fazer sem precisar necessariamente de recursos financeiros, sem obrigatoriamente visar retorno ou lucro. Aquela história, com ou sem dinheiro, vai ser feito. É mais ou menos assim que existem ainda algumas iniciativas bacanas e que funcionam algumas pessoas.

Um deles é Rogério Big Bross e uma das suas iniciativas mais pessoais e bacanas dele, o Festival Big Bands. Com ou sem apoio, com ou sem edital, com ou sem uma boa estrutura por trás, há quatro anos ele realiza seu festival, hoje um dos principais de Salvador. Se a capital baiana já melhorou muito no quesito festivais, muito se deve a persistência de caras como ele e por sempre estar envolvido na realização deles, seja o Garage Band, lá nos anos 90, o Boom Bahia ou o Big Bands. Saímos, no entanto, da situação de não termos nenhum há uns cinco anos, para hoje termos o Lado BA, o Coquetel Molotov, o Baianada, de certa forma o Conexão Vivo, que não é bem um festival, além do próprio Big Bands, e de alguns outros que estão surgindo ou se consolidando.

A edição 2011 do Big Bands, a quarta do festival, já está agendada e, de certa forma, o festival foi ampliado, sendo realizado durante 12 dias, de 26 de outubro a 6 de novembro, em diversos bares, casas de shows e espaços de Salvador. Um dos aspectos mais interessantes deste ano é justamente distribuir os shows por bairros diversos, inclusive tidos como periféricos. Uma iniciativa bacana, decorrente da ideia de se difundir música, mas também da total falta de recursos do festival este ano.

“Estamos apostando na bilheteria para pagar o som e divulgação e com recursos próprios e do Quina Cultural, que na verdade estavam reservados para outras ações, como tirar o CNPJ”, explica Rogério. Segundo ele, o evento só vai poder ser realizado graças ao apoio colaborativo das bandas, de outros coletivos de Salvador, como Positivoz e Caja, e produtoras independentes, como Tenda Alternativa, Caverna do Som e dos espaços, que gentilmente cederam suas noites/ pautas para o festival. Para Cristiane Delecrode, responsável pelo Núcleo de Sustentabilidade do Quina Cultural, o apoio vai além. Segundo ela, a situação do festival esse ano mostra a força do trabalho colaborativo como alternativa para a produção cultural independente na Bahia. “A união de bandas, produtoras, e coletivos para realizar ações e eventos está pautada na cooperação mútua e na instituição de um outro mercado que não se vale apenas de recursos financeiros, mas em sistemas de trocas como forma de conquista de uma liberdade de fato pra difundir a criação autoral de bandas e artistas”.

É uma forma de trabalho moldada numa estrutura de trabalho bem diferente da que nos habituamos nas últimas décadas, mas que vem ganhando força nos ano 2000. Que se não é a fórmula para todo mundo, tem que ser, no mínimo, visto como um caminho viável e interessante para uma parte importante do mercado musical. Nessas condições e com essa forma de atuação, o Big Bands investiu em algumas mudanças. Além de se espalhar por lugares diferentes na cidade, adotou noites temáticas e inseriu eventos já periódicos na capital baiana para fazer parte da programação do festival, caso das festas “Quinta Trash” e “Nuvem de DJs” e dos eventos “Rockabilly sessions” e “Faustão Falando Sozinho”. Resultado, tem noite punk, noite metal, noite rock, noite instrumental e duas noites voltadas para o hip hop. Se não reúne os principais nomes do circuito, nem mesmo o soteropolitano, aposta em bandas novas, alguns grupos que já vem chamando a atenção, bandas do interior do estado e bons convidados de fora, como Canastra e Black Alien, do Rio de Janeiro, e Nevilton, do Paraná. A programação você vê abaixo:

PROGRAMAÇÃO  FESTIVAL BIG BANDS 2011
25/10 A 06/11

Dia 25/10
Big bands programaçãoCabaré Fora do Eixo
Póstudo (Rio Vermelho)
– Pirigulino Babilake

Dia 28/10
Rockabilly sessions
Portela Café (Rio Vermelho)
– Canastra (RJ)
– DJ BigBross

Dia 29/10
Tarde Extremo
The Other Place – Antigo Red Devils MC (Brotas)
– Overtum
– Facada (CE)
– Clamus (CE)

Noite Rock
Ali do Lado (Rio Vermelho)
– AutoReverso
– Magdalene Rocknroll Explosion (Feira de Santana – BA)
– Mendigo Blues (Itabuna – BA)

Noite HipHop
Sunshine (Rio Vermelho)
– Black Alien (RJ)
– Doga Love
– Pedro Vuks (MG)
– DJ Jarrão
– MCING: DaGanja

Dia 30/10
Noite HipHop
Sunshine (Rio Vermelho)
– Robson Veio
– Efeito Zumbi (Feira de Santana)
– MC Marechal (RJ)
– Rashid (SP)
– Versu2 http://www.versu2.com/
– DJ Jarrão

Noite Rock
Irish Pub (Rio Vermelho)
– Tronica
– Você me Excita
– Mamutes (SE)
– Nevilton (PR)

Dia 01/11
Noite Instrumental
Póstudo (Rio Vermelho)
– Hessel
– Peito de Planta
– Retrovisor
– Tentrio

Dia 03/11
Festa com DJs
Baianinha (Carlos Gomes)
– Quinta Trash

Dia 04/11
Festa com DJs
Praia dos Livros (Porto da Barra)
– Nuvens de DJs – DJ Elektra e convidados

Dia 05/11Big bands programação
Festa Punk
Irish Pub (Rio Vermelho)
– Pastel de Miolos (Lauro de Freitas-BA)
– The Pivos (Camaçari-BA)
– Thrunda (CE)
– Mapache Man

Faustão Falando Sozinho
Espaço Dona Neuza (Marback)
– Babi Jaques e os Sicilianos (PE)
– Irmão Carlos e O Catado
– Monograma (MG)

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Festival Radioca
Festival Radioca divulga programação com grade completa