Ronei Jorge explica pausa e fala do futuro

Ronei Jorge explica pausa

Muitos têm perguntado a razão do anúncio de pausa por tempo indeterminado de Ronei Jorge e Os Ladrões de Bicicleta. Uma das melhores bandas do país, com dois discos lançados, resolveu parar suas atividades. Sem dúvida, uma grande perda para a música feita na Bahia.A interrupção amigável, e com concordância de todos na banda, não significa o fim, conforme explica o próprio Ronei Jorge, que continua seu trabalho como compositor e já começa a preparar algo novo. Conversamos com ele, leia o que aconteceu e o que vem por ai:

Motivo

“Tempo. Não tínhamos o mesmo tempo. Não queriamos deixar que o trabalho ficasse ruim. Estávamos sem tempo pra ensaiar, pra produzir. Não estávamos conseguindo ensaiar e se dedicar do jeito que a gente gosta e que sempre fez.”

Leia outras entrevistas no el Cabong

Carreira

“Na verdade eu não vou parar. Já estava compondo mais coisas novas e devo  começar a fazer algo em breve. Tenho alguns planos, mas nada concreto pra bater o martelo e dizer exatamente o que vou fazer. Vou preparar, tentar ensaiar algumas coisas e ver se daqui para o final do ano rola algo. Mas não adianto ainda. Tenho música como compositor, continuo produzindo, mas tenho que ver que rumo vai tomar. Já cheguei a conversar com alguns parceiros, mas não tenho nada definido. Com certeza daqui até o final do ano já deve ter coisa pronta”

Repertório com a Ladrões

“Como as musicas são minhas, devo manter boa parte do repertório. Não só porque as pessoas conhecem as músicas, mas porque pra mim ainda é muito verdadeiro tocá-las. Acredito nas músicas. É diferente de quando foi o fim da Saci Tric para começar a Ladrões, quando eu tinha um pensamento estético bastante diferenciado de um para outro. Ainda faz muito sentido tocar essas músicas, não é uma coisa que abandonaria, seria forçar a barra.”

Show de despedida

“A gente conversou sobre fazer um show, mas acho que teria que ser algo natural. Não queremos forçar nada e fazer por fazer. O que a gente pensa de imediato é fazer no sentido de agradecer as pessoas que acompanharam a gente. Mas ao mesmo tempo não adianta fazer uma coisa que não faça sentido pra gente. Estamos dando um tempinho pra ver, tem pouco tempo da decisão. Pouco tempo que conversamos sobre essa situação. Mas o show deve rolar alguma coisa.”

Trabalhos com os Ladrões e retorno

“Desde o início da banda a gente se respeitou muito. Entendendo as dificuldades de cada um em realização dentro da banda. Como é essa coisa de música independente, de não estar preso a uma gravadora, posso cogitar parcerias de composição, de gravação com eles. Até de show, se possível. Não está limitado a nada. Só o projeto Ladrões de Bicicleta que teve que parar porque não adianta a gente fingir que a coisa pode andar da mesma forma. Estava difícil ensaiar. Estava difícil fazer as coisas da melhor forma possível, como sempre fizemos. Não queriamos fazer de qualquer forma, mas isso não impede da gente tocar junto. Não vejo como um fim, como terminou, até porque decidimos de forma amigável. Acho que até dá um gás pra um projeto futuro.”

  1. só queria dizer que não gostei disso não.
    fica aqui o meu protesto.
    e acho bom avisarem a data do show despedida com antecedencia ou marcar um em SP tambem. HUMPF!

  2. Perfeitamente compreensível a pausa. É triste, pois esta pausa uni-se ao fim da boo. Essa “entresafra” me incomoda, mas não perco a esperança. Só mais uma coisa: Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta é a minha banda favorita. Apelo de volta…volta? Abs.

  3. Sobre a pausa da RJLB…

    “Vc se torna responsável por tudo aquilo que cativas”
    Olha lá, hein? Não vão nos abandonar na sarjeta do rock fofinho… rs

    Desejo sorte e sucesso para todos vcs!
    Aguardo notícias do futuro!

    Abçs,
    Lívia

  4. Borrão, a resenha já deve ter começado no baba e até agora estou esperando sua carona… E não sei se Ronei vai querer repetir tudo que ele deve estar falando agora…

  5. É uma pena, uma banda tão boa… umas das melhores do país! Assisti a shows muito bons.

    *Acho que foi por isso que o Edinho não tocou no show de Conquista.

    É triste ver artistas tão bons não conseguindo viver inteiramente de sua arte.

  6. Em meio tantas noticiais ruins,aqui vai uma boa:

    DINOSAUR JR. CONFIRMADO EM SALVADOR!,na Concha Acústica para ser mais preciso.No dia 25/09 🙂

  7. Eu espero mesmo que isso seja uma “entresafra”. Salvador tá ficando cada vez mais difícil pra galera do rock.

    Eu espero que vocês achem tempo logo e a banda retorne.
    Longa vida à Ronei e Os Ladrões.

  8. A banda há muito já devia se chamar apenas Ladrões de Bicicleta. Por mais que as composições sejam de Ronei, é inegável a fundamental importância de Edinho, Pedrão e Sérgio para a sonoridade da banda. Não se isso influenciou em alguma coisa, mas não tenho dúvidas de que deveriam ser assim. Os Ladrões eram uma banda, não a banda que acompanhava RJ.

  9. Acabei de ver que o SWU anunciou ronei jorge e os ladrões de bicicleta tocando no dia 10. o que houve? estão dando uma de los hermanos e voltando por conta do festival?

    1. Não. A banda foi convidada. Disseram que não tinha como ir como Ladrões de Bicicleta pq tinham terminado. Proporam ir como Ronei Jorge,ficaramde dar umretorno. Não deram e divulgaram como se fossem tocar. Estão vendo se Ronei vai ou não agora sem a Ladrões.

  10. Já vi que tiraram RJLB da programação oficial do SWU, fica aqui a minha lamentação pelo ocorrido. Gostaria mto de saber o que aconteceu com a banda, pq pelo visto não é só um hiato.

  11. Excelente o comentário de Pedro, não poderia ter colocado de uma forma melhor. Como que Ronei vem com esse papo de que as músicas são dele e vai continuar usando no repertório? Dispensou a banda e vai continuar usando o material.

  12. Vou ser chato e citar Marcelo Nova: “Bandas de rock, cara, têm que acabar cedo. Por que eu tô dizendo isso? Por que banda de rock pressupõe juventude! Pressupõe união! Pressupõe aquele espírito um por todos”. O negócio é o seguinte: Ronei, Messias e Fábio Cascadura precisam, de uma vez por todas, romper com esse negócio de banda. Banda de rock é coisa de menino, e todos eles já não são meninos a muito tempo. Bandas como, sei lá, Vivendo do Ócio, Acord e etc e tal estão no tempo certo. Mas esses caras, eles não estão mais nessa idade. O que eles, que pra mim são os três caras mais importantes do rock baiano dos últimos 20 anos, precisam fazer é assumir a carreira solo de uma vez por todas. As músicas são de Ronei, as músicas de são Messias e as músicas são de Fábio. Lição essa que caras como Wander Wildner, Baia, Frank Jorge e de certa forma até Pitty e muitos outros aprenderam faz tempo. Não tá com nada esse negócio de ficar dependendo de músico. “Ah, tem um show em SP. Como, não pode ir por que tem emprego? Tudo bem, eu vou botar meu violão no case, fazer meu showzinho solo e fim de papo”. Quantas vezes Wander e Baia vieram tocar em SSa munidos apenas de seu violão e fizeram shows fantásticos? Quando dá, vem com banda. Não dá, se vira! O que não pode é ficar parado, por que vc se jogou de cabeça na música mas seus companheiros são pais de família assalariados. Essa é uma relação extremamente injusta – e para todos os envolvidos. Nessa idade em que esses caras estão, banda começa a ser atraso de vida. Messias já deu o primeiro passo. Espero, ansiosamente, que os outros dois sigam esse caminho o quanto antes, se eles sabem o que é bom para suas carreiras. (Obviamente, tenho imenso respeito por todos os músicos que tocam com esses artistas, alguns deles são até amigos pessoais, mas chega um ponto na vida em que cada um precisa buscar o que é melhor para si – no caso, melhor para eles). Pronto, falei.

    1. Muito bom, chicão. Perfeito. Acho que Ronei deu quase esse passo quando montou a Ladrões, pq já assinava com o noem dele prevendo se um dia acabasse. Quando desfez a Saci Tric lembro que me falou isso. O nome dele continua, seja que banda for que monte.

  13. Fábio de certa forma montou a banda dele, pq de original do Cascadura não tem mais ninguém. Se Ronei quer seguir o caminho dele, acho que ele tá no direito, só realmente não entendi a recusa pro SWU, minha dúvida toda foi em relação a isso. Discordo dessa posição de carreira solo e de que banda de rock tem que acabar cedo, se tiver respeito e união entre os músicos dá pra levar por mto tempo, não vou nem começar a citar bandas de rock que estão aí há mto tempo, e continuam com gás. As músicas podem ser de Ronei, mas sem Edinho brocando na guitarra ele não estaria nem perto de ser esse ícone do rock baiano que todos consideram. Se for pela sua ótica, vc vai me dizer que tá certo o que figuras como Chorão do CBJr e outros fizeram, dispensando toda a banda e assumindo a idéia de que o frontman manda nessa porra e que banda nada mais é do que músico pra acompanhar, afinal, quem vai saber quem é o maluco atrás da bateria? Um ou outro tanto faz, melhor botar um monte de músico profissional mesmo, cada um tira o seu cachê e no final da noite vai embora, foda-se a música né.

  14. Só pra complementar o comentário, sou simplesmente um fã de RJLB, já assisti show deles 2x na mesma noite, saia de um lugar e ia pra outro assistir, gosto muito e fico triste com o final da banda, e não acho que só Ronei vai ter a mesma pegada. Se você ouvir as músicas do 2o cd no Supernovas, antes da versão de estúdio, vai ver uma outra sonoridade, só Ronei vai acabar caindo nessa maresia de som, basta ver os arranjos que fizeram nas músicas para o 2o cd, esse bossa nova pop rock tipo Marcelo Camelo, as músicas mais fodas do Supernovas como Azucrim, Vidinha, viraram as piores do CD, música que nego ficava doido cantando e pulando, virou música que dá vontade de tirar um cochilo no show, ou então ir pegar a cerveja. Não sou amigo de ninguém da banda nem conheço essa galera do meio da produção do rock, então não sei o que rola nos bastidores, sei que Sérgio é professor da FACS, então não sei se essa falta de tempo que Ronei cita deriva dessa “vida dupla” que os outros integrantes levam, impedindo viagens e compromissos com a banda.

  15. Não discordo de que, enquanto dá pra levar, o calor e a cumplicidade que unem músicos amigos em torno de uma banda é o que há de melhor, claro. Nada substitui isto. Mas infelizmente, o tempo passa, as pessoas vão ficando mais velhas, com mais compromissos e nem todos acabam se jogando de cabeça na música, como o fizeram Ronei e Fábio, só para citar os dois casos mais emblemáticos. Também acho que Ronei, sem a pegada FENOMENAL dos Ladrões, vai ficar uma coisa bem diferente e talvez nunca mais tenha aquela química, aquela “magia” (com o perdão do termo piegas) no som. Mas e agora, José? A banda parou. Talvez volte, talvez não. E aí, Ronei vai ficar esperando os caras entrarem de férias no trabalho para poder voltar a ensaiar, a viajar? E depois, quando as férias acabarem? Para de novo? Não, né? Ronei, que pra mim é um gênio com ou sem Ladrões de Bicicleta, simplesmente não tem mais tempo a perder. Tem que se jogar. Demorou. GO, RONEI!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Para quem gosta de música sem preconceitos.

O el Cabong tem foco na produção musical da Bahia e do Brasil e um olhar para o mundo, com matérias, entrevistas, notícias, videoclipes, cobertura de shows e festivais.

Veja as festas, shows, festivais e eventos de música que acontecem em Salvador, com artistas locais e de fora dos estilos mais diversos.

Leia Mais
Mestre Anderson Miguel
Entrevista: Mestre Anderson Miguel “a gente tem que aproveitar a modernidade, mas sem ferir a tradição”